shosh

Suzana Maria por Singh Bean
Suzana Maria por Singh Bean

Nas artes – como em várias indústrias – as mulheres não são tão representadas quanto os homens. Mas já faz um tempo que existe um contra-ataque pela valorização feminina no mercado. Seja com páginas que divulgam conteúdo na internet (Mulheres em Quadrinhos), seja buscando financiamento coletivo para dar vida a projetos feitos por mulheres (Zine XXX, Magra de Ruim), artistas, ilustradoras e quadrinistas vêm, pouco a pouco, mostrando que existem, sim, e querem sair dos bastidores da indústria.

Nesse caminho, surgiu o projeto Selfless Portrait das Minas, criado pela artista Suzana Maria, de 22 anos. É um grupo fechado no Facebook, exclusivo para mulheres, com mais de 350 membros. As participantes são divididas em duplas por meio de um sorteio e cabe a cada uma desenhar a outra. “Os homens tomam conta do meio da ilustração”, afirma Suzana. “Então essa ideia surge para incentivar mais mulheres não só a desenhar, mas também divulgar seus trabalhos num espaço onde não haverá julgamento.” Dá para entender o Selfless Portrait das Minas como um misto de networking e mentoreamento. A ação fez tanto sucesso que novas participantes não esperam nem mais o sorteio e saem desenhando outras participantes aleatoriamente apenas pelo prazer de fazer parte da ideia.

Outro ponto positivo: o projeto acaba tendo meninas reais como inspiração. Ou seja, corpos que não dialogam com os duros padrões de beleza ganham a arte. “É muito forte aceitar a perspectiva do outro sobre você mesma”, diz Suzana. “E mostramos, uma para as outras, como somos todas lindas em nossa própria individualidade.”

Além disso, o resultado traz uma maior complexidade e profundidade da representação do feminino. Assim como em nas fotos de agências (stock images), muitas vezes as ilustrações de mulheres são baseadas em esterótipos. Faça um passeio pelo Pinterest: há infinitas imagens (deslumbrantes!) de mocinhas carregando sacolas, passando batom, em poses de revista de moda, segurando gatos, admirando arco-íris, mandando beijinho. Mas é dificílimo encontrar representações artísticas de mulheres líderes ou em ações comuns como observar um mapa, usar o computador, dirigir um carro, jogar futebol ou tocar guitarra. E o Selfless Portrait das Minas também preenche essa lacuna tão importante para todas as mulheres, até mesmo aquelas que nunca pegaram num pincel.

***

Nathalia Castro por Karolyne Marchetti
Nathalia Castro por Karolyne Marchetti
Flora Ra por Jessica Kianne
Flora Ra por Jessica Kianne
Letícia Gonçalves por Laura Athayde
Letícia Gonçalves por Laura Athayde
Barbara Avelino por Barbara Gondar
Barbara Avelino por Barbara Gondar
Gabriela Fausto por Beatriz Lopes
Gabriela Fausto por Beatriz Lopes
Gabriele Sória por Roberta Nunes
Gabriele Sória por Roberta Nunes
Katzen Minze por Maíra Coelho
Katzen Minze por Maíra Coelho
Roberta Nunes por Gabriele Sória
Roberta Nunes por Gabriele Sória
Thais Cortez por Fernanda Rodrigues
Thais Cortez por Fernanda Rodrigues
Natalia Matos por Zô
Natalia Matos por Zô
Zô por Natália Matos
Zô por Natália Matos
Carol Nascimento por Larissa Vicente
Carol Nascimento por Larissa Vicente
Paula Campos por Gabriela Ferreira Marques
Paula Campos por Gabriela Ferreira Marques
Compartilhar
humanista

humanista

Thaïs Gualberto, formada em Arte e Mídia em 2010 pela Universidade Federal de Campina Grande, criou em 2009 a personagem “Olga, a sexóloga taradóloga”.

Leia mais:

Feminismo para Leigos – “É comum escutar: ‘Não sou feminista, sou feminina’; ‘Não sou feminista e nem machista’. Mas será que você sabe o que é feminismo? Descubra.”

“Não sou feminista, sou humanista” – “Nem todos os humanos estão no mesmo patamar.”

Compartilhar
beyonce

beyoncePor Lila Cruz.

Leia mais: 

Não me diga como ser feminista – Nem me diga que Beyoncé não é feminista

Beyoncé samples Chimamanda Adichie’s Call to Feminism – Na trilha Flawless, do novo álbum da artista, há um trecho do TEDx de Chimamanda, We Should All Be Feminists

Beyoncé’s new album should silence her feminist critics – O feminismo deve ser inclusivo e não “tamanho único” Beyoncé é pro-mulheres sem ser anti-homens. E não há nada de errado com isso

Compartilhar
bonita (1)

bonita (1)Por Lila Cruz

Leia:

Pelo direito de ser imperfeita – Até quando os homens serão os únicos não precisarem pedir desculpas por suas falhas e excentricidades? Uma reflexão que fizemos em novembro.

Will I Be Pretty? – Poesia falada de Katie Makkai, sobre a obrigação de ser bonita.

Esteticamente incorreta – “Talvez, o que eu precise gritar para o mundo não é que eu sou bonita, mas que foda-se se eu não sou”, por Aline Valek.

Compartilhar
revenge

revengePor Lila Cruz

Leia:

Meu desabafo como vítima de revenge porn – depoimento corajoso de Thamiris Sato, estudante da USP.

A luta de uma mulher contra o homem mais odiado da internet – matéria de Jezebel sobre a luta de uma mãe norte-americana contra o dono de um site que publica vídeos íntimos.

END Revenge Porn – campanha contra Revenge Porn.

Pornografia da revanche vindo com tudo – post da Lola Aranovich sobre casos brasileiros.

“Nossa sociedade julga as mulheres como se o sexo denegrisse a honra” – entrevista do deputado federal e ex-jogador de futebol, Romário, que apresentou projeto de lei que torna crime a divulgação indevida de material íntimo.

Compartilhar
gabi

gabi

Homenagem a Gabriela Leite.

Diana Helene (Crocomila) desenha desde que se lembra por gente. Apesar de graduada arquiteta e mestre em planejamento urbano, trabalha com ilustração para livros, cartazes e design gráfico desde 1999. Atualmente, tem seu próprio blog de quadrinhos e lançou seu primeiro livro como cartunista em 2012. Veja mais do seu trabalho na sua página de Facebook, Um Dia Ainda Viro Cartunista

Compartilhar
bicicleta de rodinha

bicicleta de rodinha

Laura Athayde gosta de desenhar mulher pelada e colorir com aquarela. É nova no universo dos quadrinhos, e muitos de seus trabalhos são autobiográficos. Laura tem uma desenhista dentro do armário que, de vez em quando, deixa escapulir. Mudou-se há alguns meses para São Paulo, onde já foi cuspida por um mendigo e ganhou um par de sapatos de um taxista desconhecido, e estes experimentos refletem suas impressões sobre descobrir(-se) o mundo. Ela faz parte da equipe do Zine XXXConheça seu Tumblr e sua página no Facebook.

Compartilhar