Uma primavera sem fim

2015 se encerra conhecido como o ano da primavera das mulheres. O feminismo invadiu as ruas, as rodas de conversa, mas, principalmente, a vida de muitas mulheres que nunca antes imaginaram que assim se reconheceriam.

E a internet também foi um dos campos de batalha do feminismo esse ano. Foi por meio de campanhas, hashtags, denúncias e respostas espertas a machismos em geral que o movimento se popularizou na rede e mostrou como pode se fazer presente no dia a dia das mulheres. Quase metade da população brasileira está conectada, a internet é um meio de comunicação poderoso e o machismo faz parte do cotidiano virtual também – o feminismo nada mais é que uma forma combatê-lo em todas as suas manifestações, inclusive online.

Neste infográfico criado em parceria com a Agência Ideal, trazemos os principais números desse movimento na internet. São dados que impressionam pela grandeza e frequência de ocasiões durante o ano em que o feminismo foi notícia e gerou burburinho na rede.

Esses números também nos emocionam e enchem de esperança. Para além deles, existem incontáveis histórias de mulheres que se libertaram, fizeram denúncias, lutaram contra fantasmas, retomaram suas próprias narrativas, buscaram ajuda e ajudaram outras mulheres a se libertar também. Essas não cabem no infográfico. De algumas, jamais ouviremos falar. Mas não existe nada mais gratificante que a mera noção de que é isso, também, que esses números representam.

De acordo com o Google Trends, a hashtag #primeiroassedio, por exemplo, teve mais de 11 milhões de buscas relacionadas no buscador. Algumas procuravam saber o que era assédio, como ele acontece no trabalho, etc. Informações poderosas e transformadoras, ao alcance de um clique, encontradas pelo incentivo de uma simples hashtag.

E, com mulheres cada vez mais conscientes de seus direitos e apagadas à sua liberdade, temos certeza de que o ano que vem não será diferente, pois essa tal primavera faz florescer nas mulheres uma garra e uma coragem que não murcham jamais. Vem com tudo, 2016. Nós estamos preparadas!

Compartilhar

Sobre Luíse Bello