Ban Ki-moon: Objetivos Globais não serão alcançados sem igualdade de gênero

Mujer-Trab_finalweb

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A ONU Mulheres e o Governo da China promoveram neste domingo, na sede da ONU, um evento sobre igualdade de gênero e autonomia feminina. O secretário-geral declarou que os novos Objetivos Globais não podem ser alcançados “sem direitos iguais, na lei e na prática, para metade da população mundial”.

Ban Ki-moon destacou que no fórum, os líderes mundiais estavam “sinalando sua responsabilidade pessoal para a igualdade de gênero”. Apesar de progressos recentes, o chefe da ONU destacou que ainda há um longo caminho a percorrer.

Exclusão

Ele explicou que “muitas meninas e mulheres continuam sofrendo discriminação, estão sujeitas à violência, têm negadas oportunidades iguais em educação e emprego e são excluídas de posições de liderança”.

Segundo Ban Ki-moon, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável não pode ser alcançada sem direitos iguais para as mulheres.

Ban destacou que garantir a proteção de mulheres e meninas e priorizar suas necessidades também é essencial na hora de resolver emergências humanitárias.

Salários

O chefe da ONU pediu aos líderes mundiais mais compromisso para garantir de verdade a igualdade de gênero. Ban explicou que é preciso tratar com urgência de algumas barreiras, como as diferenças salariais entre homens e mulheres.

O secretário-geral também defende que seja reconhecido o “direito de meninas  e mulheres governarem sua saúde sexual e reprodutiva, acabar com a violência e garantir a participação feminina na arena política, na resolução de conflitos e em processos de paz”.

Investimento Chinês

Ban Ki-moon explicou que até 2030, o planeta precisa ser “50:50”, ou seja, com direitos iguais para homens e mulheres. O chefe da ONU disse que o evento de alto nível pode ser um marco para a o alcance completo da igualdade de gênero.

O presidente da China, Xi Jinping, anunciou que o país vai contribuir com US$ 10 milhões em apoio ao desenvolvimento das mulheres no mundo. O líder chinês também garantiu que irá ajudar outros países em desenvolvimento a fornecer cuidados de saúde e treinamento vocacional para mulheres e meninas.

RADIO_UN_Blue (1)


Esse post faz parte de uma parceria entre Think Olga e a Rádio ONU em Português para a divulgação de conteúdo relacionado a gênero.

Arte: Laura Liedo

Compartilhar

Sobre Think Olga

A OLGA é um projeto feminista criado em abril de 2013 cuja missão é empoderar mulheres por meio da informação.