Qual o tamanho ideal de saia para evitar assédios?

É provável que você já tenha visto a imagem abaixo circulando pela internet. Batizada de Judgements (em português, julgamentos), a foto foi feita pela artista Rosea Posey com a intenção de denunciar os preconceitos e as ofensas estereotipadas que as mulheres escutam por causa de suas roupas. “Toda vez que saio de casa com um shorts curto ou um decote, fico preocupada se serei vítima de assédio sexual”, disse Posey ao Huffington Post.

olga saia

De maneira irresponsável e equivocada, a forma como as mulheres se vestem é apontada como a culpada por gerar violências sexuais. Governos e entidades religiosas praticam a culpabilização da vítima. Recentemente, um estudo na Arábia Saudita, onde as mulheres usam o xador, vestimenta que cobre todo o corpo, com exceção dos olhos) mostrou que os homens acreditam que o uso de maquiagem é uma das causas do aumento de casos de assédio sexual. A culpa é de todos, menos dos verdadeiros culpados: os assediadores e agressores.

olga anna mancini

À convite da OLGA, a ilustradora Anna Mancini fez uma versão da foto acima. As categorias foram todas substituídas por “asking for it” (“ela estava pedindo”). É que, na verdade, o tamanho da saia pouco importa se o agressor tem a intenção de assediar e a certeza de impunidade.


Anna Mancini é ilustradora, adora fazer animações e descobriu que desenhar quadrinhos faz bem pra cabeça. Trabalha com ilustrações para camisetas, lettering e design gráfico. Faz parte do projeto Zine XXX e publica suas coisas no Tumblr e na página Manzanna.

  • 0

    Avaliação geral

  • Avaliação dos leitores:0 Avaliações

Compartilhar

Sobre Think Olga

A OLGA é um projeto feminista criado em abril de 2013 cuja missão é empoderar mulheres por meio da informação.

Você também pode gostar de

3 comments on “Qual o tamanho ideal de saia para evitar assédios?

  1. Jane Carolli
    19 de janeiro de 2014 at 16:08

    Se tamanho de roupa fosse motivo para cantada,eu nunca teria ouvido uma. Eu só uso vestidos e saias na altura do joelho ou,no máximo, um palmo acima, e não uso decotes pronunciados (em parte,por não gostar, e em parte,infelizmente,por ter internalizado essa culpa que conhecemos tão bem),o que não me poupou de ouvir comentários nas ruas-inclusive o constrangimento de ser chamada de “gordinha gostosa” por um motorista de caminhão aos berros,enquanto eu estava num ponto de ônibus, ou ser chamada de “boazuda” por um imbecil, sendo que eu usava calça jeans e uma blusa tipo bata.
    Não é a roupa a culpada, tampouco a mulher. A culpa é do idiota que acha que tem o direito de nos constranger.

  2. André Melo
    20 de janeiro de 2014 at 14:55

    A culpa é do agressor, claro.
    Mas o estilo de roupa diz muito sobre você, querendo ou não.
    Se entrar em uma reunião empresarial vestindo roupas velhas e chinelos arrebentados você dificilmente será levado a sério. Se for no casamento de seu irmão então, pior ainda.
    Resumindo, não reclame se você receber o tratamento que seu estilo sugere. Agressões são crimes, mas se sair na rua pelada jogando dinheiro para o ar o que você acha que acontecerá?

    • Olga
      20 de janeiro de 2014 at 19:01

      Quanta bobagem, André.

Os comentários estão fechados no momento.