Mulheres mais velhas na TV, a conquista

olga mulheres series

Este é um post da série sobre a revolução dos personagens femininos na TV. Veja as matérias anteriores:  Séries de TV: Um Grande Momento para Ser Mulher e A Revolução Feminina Será Televisionada.


Tradicionalmente as mulheres são retratadas no mundo da ficção a partir dos mesmos estereótipos (três, para ser exato). Mas, na vida real, somos muitas e muito diferentes, e aos poucos estamos encontrando personagens femininas mais variadas, complexas e profundas. Enquanto o cinema ainda trata de ignorar metade da população mundial e seus perfis – em 2011 a porcentagem de mulheres latinas e asiáticas em filmes de grande bilheteria era quase a mesma de animais e extraterrestres -, a TV vem inovando na criação de papéis para as atrizes e dando espaço para novos perfis. Um deles é a mulher mais velha.

Em Hollywood, a vida começa aos… Bem, o quanto antes. A indústria cinematográfica norte-americana vem progressivamente diminuindo a idade de suas protagonistas. Aos 20 anos, Jennifer Lawrence desbancou Angelina Jolie para o papel da viúva (!) Tiffany, em O Lado Bom da Vida. Já em Garotas Malvadas, Amy Poehler, aos 33 anos, fez o papel de mãe de Rachel McAdams, na época, com 26. Nas telonas, as quarentonas estão fadadas a interpretar mães boazinhas ou madrastas neuróticas das starlets do momento

Só que, na TV, o cenário é diferente. Ela permite que as atrizes fujam dos clichês e recebam também papéis de mulheres poderosas e independentes, que administram empresas ou famílias – e sem a necessidade de disfarçar a idade.

olga connie britton

Connie Britton, 46 anos, por exemplo, alcançou a fama depois dos 40 anos e tudo isso graças aos seriados de sucesso em que participou: Friday Night LightsAmerican Horror Story. Atualmente, em Nashville, interpreta a cantora de música country Rayna James. Sua personagem tem embates com a jovem e prepotente colega de gravadora e a nova sensação das rádios, Juliet. Mas Rayna é mais experiente, ponderada e até mesmo mais querida. Quando vê que pode perder espaço para a concorrência de sangue novo, já arquiteta a ideia de criar um selo próprio – uma coisa mais mulher de negócio e menos rostinho bonito. Entre todas as reviravoltas profissionais, encontra tempo para ser uma mãe presente e engatar novos romances depois da separação.

Em 2007, o NY Times publicou In The Prime Of Their Time, matéria sobre as protagonistas maduras de seriados. O foco era o de que, em vez de encarnarem a tia solteirona nas telinhas, as atrizes de 40 anos para cima estavam ganhando papéis com sex appeal. Entre seus exemplos, estão Kyra Sedgwick (47 anos, The Closer), Holly Hunter (55 anos, Saving Grace), Lily Taylor (47 anos, State of Mind) e Courteney Cox (49 anos, Cougar Town). “A dinâmica mulher mais velha e homem mais novo, que um dia pareceu tão bizarra e patética a ponto de Tennessee Williams escrever tragédias a partir disso, ganhou um novo brilho.”

De lá para cá, a TV trouxe ainda mais profundidade às tais personagens, se distanciando do clichê das cougars, ganhando também nuances dramáticas e se aproximando da mulher real, que equilibra família, amor, vida social e trabalho – este último, sempre se apresentando com muita importância para a vida das personagens.

olga julianna margulies

Um grande exemplo é Alicia Florrick, a protagonista de The Good Wife, interpretada por Julianna Margulies, 47 anos. Quando a série estreou, esperávamos ver a “boa esposa” ficar ao lado do marido político durante um episódio de traição que vem a público. Não foi (completamente) o caso. A personagem Alícia foi construída com várias nuances. “Ela pode ser a nossa heroína, mas sua libertação e sua corrupção trabalham em sintonia. Na primeira temporada, ela usa conexões do marido para tirar a promoção de um colega. Na terceira temporada, ela ajudou forjar um documento o e dormiu com o chefe dela”, disse Emily Nussbaum, na New Yorker. Além disso, Alicia está sempre dizendo não ser uma boa mãe para seus dois filhos adolescentes.  Se é verdade ou não, não sabemos, mas quantas mulheres que não deixam seus lares pela manhã para trabalhar não pensam o mesmo?

olga gillian anderson

Entre as novidades da TV neste ano, está The Fall, drama policial estrelado por Gillian Anderson (44 anos, ex-Arquivo X). Sua personagem é a Stella Gibson, descrita pelo Guardian como “durona, mas com uma suavidade subjacente. Uma mulher que torna os homens fracos, mas também uma feminista que valoriza a companhia feminina”. A protagonista traz alguns dos melhores diálogos feministas que já vi na TV. Stella e um colega policial discutem sobre os crimes de um serial killer e quais informações divulgarão à imprensa:

Stella Gibson: “Não vamos nos referir às vítimas como ‘inocentes'”
Jim: “Mas elas eram inocentes”
Stella: “Mas e se a próxima vítima for uma prostituta? Ou uma mulher voltando para a casa, bêbada, de minissaia? Elas serão, de alguma forma, menos inocentes? Serão culpadas pelo ataque? A mídia adora dividir as mulheres entre virgens e sedutoras, anjos e vadias. Não vamos encorajá-la.”

  • 0

    Avaliação geral

  • Avaliação dos leitores:0 Avaliações

Compartilhar

Sobre Think Olga

A OLGA é um projeto feminista criado em abril de 2013 cuja missão é empoderar mulheres por meio da informação.

Você também pode gostar de